Ação da Petrobras exige sangue-frio

O acionista da Petrobras tem se sentido mais um praticante de esporte radical, do tipo “bungee jumping”, do que propriamente um investidor nos últimos meses